Leão
n7wzu5v

Leão é uma das constelações mais óbvias do céu, por ser constituída por estrelas brilhantes, bastante extensa e facilmente identificável com as formas de um leão. Localize-se perto da constelação de Gêmeos.

É de origem muito antiga, tendo sido identificado como o felino que representado por várias culturas ancestrais, estando por isso presente na mitologia de povos diversos ao longo da História. Segundo a lenda mais célebre hoje em dia, que nos chega da cultura greco-romana, representa o Leão de Nemeia, um dos monstros míticos mortos por Héracles ( Hércules ) nos seus 12 trabalhos.

Possuindo uma pele cuja resistência tornava-o imune a qualquer arma, o Leão mitológico só foi derrotado após vários dias de luta corpo-a-corpo, enquanto Héracles sufocava-o até à morte. Posteriormente o herói passou a usar a pele do animal, como proteção nos combates contra outras criaturas míticas.

Estrelas mais notáveis:

- α (Alfa), tem o nome próprio Régulo, de " Regulus ", versão latina do grego " Basiliskos ", que significa " pequeno rei ". É uma múltipla física ( a proximidade entre as estrelas que a constituem é real ) de Magnitude ( global ) 1.4 , a cerca de 78 anos-luz de nós. Qualquer telescópio conseguirá mostrar as duas componentes principais separadas uma da outra.

- β (Beta), tem o nome próprio Denébola, de uma expressão árabe que significa " a cauda " ( do Leão ). É uma estrela branca de Mag. 2.1 , a apenas 36 anos-luz de nós.

- γ (Gama), tem o nome próprio Algieba, de uma expressão árabe que se refere à " testa " - a incongruência, por se localizar no pescoço do Leão, explica-se pelo facto de a representação desta constelação, para os Árabes antigos, ser diferente da figura moderna. É uma das duplas mais apetecíveis para se observar com telescópios amadores, constituída por um par de gigantes amarelas de Mag.2.0 .

- δ (Delta), tem o nome próprio Zosma, termo grego resultante da transliteração de uma palavra árabe significando " cintura " . De uma expressão árabe que menciona " a anca " ( do Leão ) resultou outro nome próprio pelo qual a estrela é por vezes referida: Duhr. É uma estrela esbranquiçada de Mag. 2.6 , a 58 anos-luz de nós.

- ε (Épsilon), tem o nome próprio Algenubi ou Ras Elased Australis, ambos formados a partir da mesma expressão original árabe que se refere à " estrela a Sul da cabeça do Leão ". A versão abreviada " Algenubi " significa apenas " Austral " ou " a Sul " enquanto que a versão híbrida " Ras Elased Australis " aproveita a expressão original referente à " cabeça do Leão ", acrescentando-lhe o sufixo latino " Australis ", que significa " a Sul ". Ambos os nomes próprios são usados com pouca frequência. É uma gigante amarela de Mag. 3.0 .

- ζ (Zeta), tem o nome próprio Adha fera, de uma expressão árabe que se refere ao " tufo de cabelo " - faria todo o sentido no desenho celeste do Leão, pois localiza-se na juba da figura, mas o nome original referia-se à totalidade das estrelas da constelação vizinha, hoje em dia separada de Leo, a moderna " Cabeleira de Berenice ". É uma estrela amarelada de Mag. 3.4 .

- η (Eta), tem o nome próprio, pouco utilizado, Al Jabhah, da mesma expressão árabe que se refere à " testa ", embora se localize no pescoço da figura - isto porque numa representação da constelação, diferente da atual, os Árabes viam a testa do Leão ser delineada pelas estrelas Eta e Gama. É uma supergigante esbranquiçada de Mag. 3.5 .

- θ (Teta), tem o nome próprio Coxa, do latim significando " anca ", ou Chertan , de uma expressão árabe que se refere à " costela " ( do Leão ). É uma anã branca de Mag. 3.4 .

- ι (Iota), é uma dupla física, cujas componentes se encontram demasiado próximas uma da outra para que seja possível observá-las individualmente através de instrumentos ópticos. É um sistema bastante interessante, pois apresenta a curiosidade de uma das estrelas ser muito semelhante ao nosso Sol, encontrando-se relativamente próxima de nós, a cerca de 77 anos-luz. O par exibe uma Mag. de 4.0 .

- κ (Capa), tem o nome próprio, pouco utilizado, Al Minliar al Asad, corrupção de uma expressão árabe que se referia ao " focinho do Leão ". É uma dupla física, demasiado difícil de se observar separada nas componentes individuais com instrumentos ópticos, de Mag. 4.5 .

- λ (Lambda), tem o nome próprio Alterf, corrupção de um termo árabe que, neste contexto, significa " o olhar " ( do Leão ) - deveria, logicamente, assinalar o olho do Leão, mas a figura da constelação visualizada pelos Árabes era diferente da actual. É uma gigante alaranjada de Mag. 4.5 .

- μ (Miú), tem o nome próprio Ras Elased Borealis, ou Rasalas, ambas provenientes da mesma expressão árabe original de onde também se formou um dos nomes próprios da estrela Épsilon desta constelação . Neste caso, o sufixo latino " Borealis " ( que significa " a Norte " ) resulta na tradução " a estrela a Norte da cabeça do Leão ". É uma gigante alaranjada de Mag. 3.8 .

- ο (Ómicron), tem o nome próprio Subra, de uma expressão árabe que menciona " a juba " ( do Leão ). Apesar de se localizar na juba da figura, o nome original havia sido atribuído, não a esta estrela, mas a duas outras de uma área distinta, fruto do fato de a constelação árabe ser diferente da atual. É uma dupla física, cujas componentes se encontram demasiado próximas uma da outra para que seja possível observá-las individualmente através de instrumentos ópticos, de Mag. 3.5 .

- ρ (Ró), é por vezes mencionada pelo nome próprio, raramente usado, Shir, do persa significando " leão ". É uma supergigante azul de Mag 4.4 .

- R Leonis, é uma gigante vermelha, variável do tipo Mira cuja Mag. oscila entre 5.4 ( visível com binóculos ) e 10.5 ( visível apenas com um pequeno telescópio ) em ciclos de cerca de 311 dias. Por não ser, durante a maior parte do tempo, visível a olho nu, está assinalada no mapa acima com um " R " vermelho.

- Wolf 359, deve o seu nome ao facto de pertencer a um catálogo elaborado por Max Wolf, astrónomo que aplicou o uso da fotografia à medição do movimento próprio de corpos celestes de brilho reduzido ( asteróides e estrelas ), entre outros, e que acabou por revelar muitas das estrelas que se encontram nas nossas redondezas. A Wolf 359 é a terceira mais próxima do nosso sistema solar, a apenas 7.7 anos-luz, uma anã vermelha de Mag. 13.5, somente visível com telescópios de abertura considerável.

- CW Leonis ( HIP 49026 ), é a estrela mais brilhante do céu, quando observado na banda do infravermelho. Na banda do visível apresenta uma Mag. de 11.0 , observável apenas com telescópios.